Ir para o conteúdo
Marcas de patrocínio e incentivo

O melhor da música JAM no MAM em 30/09

A última JAM no MAM de setembro foi uma verdadeira “dança das cadeiras”. Não no sentido de quem perde o seu posto para outro, mas querendo dizer que contamos com um número incrível de musicistas talentosos entrando e saindo do palco da jam session mais famosa do Brasil, dispostos a criar uma profusão de encontros especialíssimos.

O pôr do sol é sempre um espetáculo à parte na JAM no MAM. Foto Lígia Rizério.

O dia ensolarado se despediu com um pôr do sol tão bonito que fez o público (lindo e abundante) aplaudir. Deixa perfeita para o início da noite musical, que teve, logo de cara, interpretações de "Voo Sobre o Horizonte" (José Roberto Bertrami) e "Triste" (Tom Jobim) pela banda Geleia Solar – dessa vez formada por Fernando Miranda (trompete), Matias Traut (trombone), André Becker (sax alto), Tarcísio Santos (guitarra), Bira Marques (piano), Ivan Huol (bateria), Gabi Guedes (percussão) e Marcos Sampaio (baixo).

Matias Traut "mandando ver" no trobone, numa jam session que contou com muitas participações especiais. Foto Lígia Rizério.

Teve participação internacional do baterista alemão Michael Küttner, que no ano passado encantou o público da JAM no MAM com sua performance. Dessa não foi diferente. Nosso amigo arrasou nas músicas "Nardis" (Miles Davis), "All Blues" (Miles Davis) e "Saídas e Bandeiras" (Milton Nascimento/Fernando Brant). E Tobias Möller, nosso outro amigo alemão de longas datas também deu canja de bateria em "Song For My Father" (Horace Silver). Tobias foi acompanhado por Raoni Maciel na guitarra e Samuel Cabral no piano.

Michael Küttner e Gabi Guedes em uma das parcerias "luxo total" da JAM no MAM. Foto Lígia Rizério.

Daniel Ragoni, mais um baterista talentosíssimo, tocou em "Footprints" (Wayne Shorter), com canjas também dos percussionistas Paulo Giron, Ícaro Sá e Lucas Maciel. Muito som ainda rolou até a saideira da noite com "A Rã" (João Donato), com participação de Ana Paula Albuquerque nos vocais. Não dissemos que tinha sido uma festa no palco?

Público abundante numa temporada com patrocínio da Secretaria de Turismo e do Governo da Bahia, e apoio institucional do Museu de Arte Moderna da Bahia, do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia e da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

Raoni Maciel foi um dos destaques da noite de jam session em Salvador. Foto Lígia Rizério.