Ir para o conteúdo

Confira o que rolou na JAM de 08/12

Foi um final de semana com várias atrações musicais em Salvador, mas nem por isso a JAM no MAM sentiu diminuir o fluxo do seu público. Ao contrário. Mesmo antes de começar o som, um grupo numeroso e atento já se posicionava para curtir o que seria uma noite cheia de talento, algumas estreias e ótimos momentos musicais! Mais de 1.100 pessoas estiveram presente ao longo da JAM, um número que deverá aumentar nas duas próximas edições do projeto nesse mês de dezembro (dias 22 e 29).

Jana Vasconcellos abriu a JAM no MAM de 08/12/2018. Foto Isabela Bugmann

Às 18h a violonista Jana Vasconcellos começou a tocar e, assim, marcava sua primeira participação na JAM no MAM. Ela veio acompanhada por Daniela Pena na percussão (outra estreante no projeto que chegou chegando, mostrando um trabalho bem forte), Jéssica Kaline na guitarra (sempre um destaque, tanto na performance de abertura quanto integrando a Geleia Solar, banda base da JAM) e Ivan Bastos no baixo (nosso mestre e um dos destaques da Geleia Solar), mostrando um repertório autoral e versões para clássicos da MPB. Um dos destaques foi a linda interpretação de “Lígia” (Tom Jobim), com uma melodia executada com primazia e harmonia perfeita!

Jana Vasconcellos, Jéssica Kaline e Daniela Pena na JAM no MAM. Foto Isabela Bugmann

A transição entre a abertura e a jam session foi bem interessante. Geleia Solar, Jana Vasconcellos e seu grupo fundiram-se no palco, todos ao mesmo tempo, fazendo o que os músicos da JAM mais gostam de fazer: improvisar com os estímulos musicais trocados a partir das referências que cada artista traz pra cena. O público? Adorou!

Ricardo Carvalho na JAM no MAM. Foto Isabela Bugmann

Ricardo Carvalho, alabê desde sua primeira infância e também estreante da noite, assumiu um posto no time de percussão da Geleia Solar tocando o rum, atabaque maior e solista do candomblé. Luizinho Assis, responsável pela abertura da JAM de 24/11, foi o tecladista da noite. Felipe Guedes, mais uma vez deu um show de versatilidade e tocou percussão, clarinete e guitarra. Fernando Miranda, no trompete, segurou bem as pontas e foi muito aplaudido numa noite em que o time dos sopros acabou sendo desfalcado devido ao concerto da Orkestra Rumpilezz na Praça Castro Alves, no mesmo horário. Ao longo da noite, o repertório incluiu composições como "Trilhos Urbanos" (Caetano Veloso), "Oleo" (Sonny Rollins), "Lugar Comum" (João Donato/ Gilberto Gil) e "81" (Miles Davis), e o público pôde curtir também canjas bem legais de Thiago Trad e Tobias Moeler, na bateria, Paulo Giron, na percussão, e Artur Carneiro, no baixo.

Priscila Magalhães na JAM no MAM de 08/12/2018. Foto Isabela Bugmann

Quando estávamos próximos ao final dessa edição, Jana retornou ao palco e se juntou aos músicos para mais uma interação. Rolaram até algumas canjas vocais, como a interpretação de Priscila Magalhães em “Vapor Barato” (Jards Macalé e Waly Salomão).

Julieta Palmeira, Secretária da SPM, na JAM no MAM de 08/12/2018. Foto Isabela Bugmann

Julieta Palmeira, a novíssima Comendadora da cidade do Salvador e Secretária da SPM, e Luiz Gavazza, presidente da Bahiagás (patrocinadora dessa edição da JAM no MAM), também marcaram presença, com direito a discurso da Comendadora para os "21 dias de ativismo", campanha que teve início em 1991 pela Organização das Nações Unidas. A ONU criou a campanha “16 dias de ativismo” para mobilizar a população mundial na discursão e criação de estratégias do combate à violência contra a mulher, no período compreendido entre o dia 25 de novembro (Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher) e 10 de dezembro (Dia Internacional dos Direitos Humanos). No Brasil, entretanto, os 16 dias se ampliaram para 21 dias de ativismo: a mobilização se inicia no dia 20 de novembro (Dia da Consciência Negra), para destacar a dupla discriminação vivida pelas mulheres negras.

Público da JAM no MAM de 08/12/2018. Foto Isabela Bugmann.

Essa edição da JAM no MAM teve patrocínio da Bahiagás – vinculada à Secretaria de Infraestrutura do Estado da Bahia (Seinfra) – e do Governo do Estado da Bahia, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura. A JAM no MAM foi um dos projetos selecionados no Edital de Patrocínio 2018 da Bahiagás e também é contemplado pelo Fazcultura. É um projeto da Huol Criações e tem apoio do Museu de Arte Moderna da Bahia. Este ano a Bahiagás (Seinfra) e o Governo do Estado da Bahia garantirão ainda a jam session do dia 22 de dezembro (com a participação da Orquestra de Berimbaus).

Banda Geleia Solar na JAM no MAM de 08/12/2018. Foto Isabela Bugmann.

Fotos Isabela Bugmann.