Ir para o conteúdo

Saiba como foi a JAM com o Rumpilezzinho!

Teve festa na cidade, teve tempo chuvoso e, sim, teve uma JAM no MAM linda de se ver – e ouvir – no sábado passado (30/03). Na abertura da noite, o Coletivo Rumpilezzinho, sob a regência do maestro Letieres Leite, fechou o mês de março representando uma parte significativa do propósito da própria JAM: o de ser um projeto que instiga novas gerações a mergulharem no universo da música instrumental, ampliando os limites de toda a cena artística local.

Rumpilezzinho na JAM no MAM de 30/03/2019. Foto Lígia Rizério.

O Rumpilezzinho chegou formado por 16 integrantes entre 10 e 26 anos, e abriu os trabalhos musicais às 18h com um repertório que incluiu "Caxixi", "Honra ao rei", "Coisa Nº4", "Mestre Moa", "Mambop" e "LSD". Em comum, arranjos que exploravam as nuances das matrizes africanas da MPB, numa orquestração rica e diversificada de sopros, percussão, bateria, guitarra, violão, baixo, teclado e guitarra baiana. Esta última deu uma sonoridade especial à apresentação e criou uma musicalidade de qualidade, com performances incríveis que interagiram com o público e conquistaram todos os presentes.

Rumpilezzinho na JAM no MAM de 30/03/2019. Foto Lígia Rizério.

A transição para a entrada da Geleia Solar, ainda com a Rumpilezzinho no palco, foi com a canção "Patinete rami rami", composição de Letieres dedicada a Ivan Huol, baterista e diretor artístico da JAM. A Geleia entrou com uma formação potente: Ivan Huol, Ivan Bastos, Bruno Aranha, Rowney Scott, Fernando Miranda e Matias Traut. Não tinha como dar errado...!

Ivan Huol e Ivan Bastos na JAM. Foto Lígia Rizério

No meio do percurso, até caiu uma pequena chuva, mas a produção da JAM, como sempre acontece em dias de tempo incerto, já tinha providenciado toldos para proteger o público da água. E assim a noite continuou num clima ótimo com o maestro Letieres coordenando coletivamente a interpretação de “Eighty one” (Miles Davis), “Café com pão” (João Donato) e “Trilhos urbanos” (Caetano Veloso), com direito a canja de Paulo Giron nos timbales.

Também rolou “Mar do Norte” (Ivan Bastos), com Jessica Kaline na guitarra, e “Softly, as in a morning sunrise“ (Sigmund Romberg). No final, a Geleia Solar interpretou “A night in Tunisia” (Dizzy Gillespie) para se despedir de mais uma JAM no MAM (a terceira seguida!) financiada pelo seu público através da campanha FÃ da JAM.

Com a falta de patrocínio regular, a JAM no MAM está tentando viabilizar a próxima jam session para o dia 27 de abril. Até lá, divulgaremos como cada um de nós pode contribuir para que isso aconteça. Até já!

Rumpilezzinho na JAM no MAM. Foto Lígia Rizério

Rumpilezzinho na JAM no MAM de 30/03/2019. Foto Lígia Rizério.

Fotos Lígia Rizério.