Ir para o conteúdo

Como foi a JAM no MAM de 27/07

Amigas e amigos antigos, muitos rostos novos, parceiros, artistas e turistas chegaram cedo para matar a saudade da JAM no MAM, que no sábado passado (27/07) fez mais uma edição surpreendente, inteiramente financiada pelo público! Como novidade, o espaço aberto do MAM totalmente livre dos antigos tapumes, devolvido ao público após a finalização das obras da estrutura do Solar do Unhão.

Rony Santini na JAM no MAM - Foto Lígia Rizério

Como o pôr do sol foi meio escondido pelas nuvens, olhos e ouvidos ficaram atentos para o palco pouco depois das 18h, quando o Santini & Trio deu os primeiros acordes da noite. O grupo baiano de música instrumental formado por Rony Santini (guitarra acústica), Rogério Ferrer (acordeon e piano), Flaviano Gallo (bateria) e Anderson Silva (contrabaixo elétrico) fez uma linda abertura tocando composições autorais, como "Garoa" e "Na varanda",  e interpretando composições famosas como "Ponteio" (Edu Lobo/José Carlos Capinan) e "Trilhos urbanos" (Caetano Veloso), entre outras.

O Santini & Trio vive um momento especial após uma turnê linda em Portugal e, pela segunda vez, mostrou ao público da JAM a qualidade da sua produção musical. A Galeia Solar, nossa banda anfitriã, entrou em cena às 19h e aproveitou os músicos do grupo ainda no palco para tocar "Footprints" (Wayne Shorter). A Geleia dessa vez estava formada por André Becker (sax tenor), Fernando Isaia (trompete), Rowney Scott (sax soprano), Tarcísio Santos (guitarra), Luisinho Assis (teclado), Nino Bezerra (baixo acústico), Lorena Martins (bateria), Ivan Huol (bateria) e Gabi Guedes (percussão), e deu sequência ao repertório com "Café com pão" (João Donato) e "Samba e amor" (Chico Buarque).

O clarinetista Ivan Sacerdote fez uma participação bem especial em "Minha saudade", dando início das homenagens à João Gilberto programadas para a noite. Também rolou clarinete e a potente voz de Artur Carneiro em "Estate" (Bruno Martino), composição eternizada na voz de João Gilberto.

JAM no MAM de 27-07-2019 - Foto Lígia Rizério

Mas o momento mais emocionante da noite foi mesmo o público cantando em uníssono "Chega de saudade", acompanhando o sax de Rowney, com Tainã na percussão e Cacau na guitarra. Com o palco disputadíssimo, ainda tiveram muitas canjas em "Donateando" (Ivan Huol), com Luan Costa nos timbales, Rui da Chave, Marcelo no piano e Cacau na guitarra. A noite terminou ainda bem brasileira, com "Viola violar" (Milton Nascimento/Márcio Borges), com Daniel Ragoni na bateria e Artur Carneiro no baixo acústico.

Nosso próximo encontro? No final do mês de agosto, quando a JAM no MAM vai comemorar seus 20 anos de música! Em breve divulgaremos todos os detalhes dessa festa imperdível! Confira abaixo outras fotos de Lígia Rizério:

 

JAM no MAM de 27-07-2019 - Foto Lígia Rizério

JAM no MAM de 27-07-2019 - Foto Lígia Rizério

Lorena Martinhs na JAM no MAM de 27-07-2019 - Foto Lígia Rizério