Ir para o conteúdo

Os melhores momentos da JAM de 26/10

Pátio cheio, tempo bom. Um público incrível chegando e criando aquele cenário que a gente gosta, já com cara (e temperatura) de verão. Num sábado em a agenda cultural de Salvador estava cheia de boas opções musicais, o único temor era a JAM não contar com muitos músicos para improvisar com a Geleia Solar ao longo da noite... Felizmente, não foi o que aconteceu.

JAM no MAM Outubro 2019 - Foto Elzinha de Abreu

Logo nos primeiros acordes da noite, Ivan Huol improvisou na bateria um motivo que depois da parceria com o percussionista Gabi Guedes (tudo "de improviso") deu lugar a “Êmoriô”, de Donato e Gil. Mas o time que abriu a formação da Geleia Solar, banda base da JAM, era ainda mais poderoso: na guitarra, Jordi Amorim, da novíssima geração de jazzistas baianos, que dividiu a harmonia da noite com o teclado de Luizinho Assis; já os sopros "cantores da noite" estavam a postos com Rowney Scott, André Becker e Matias Traut.

E com Ivan Bastos no baixo integrando esse time de responsa, Huol arriscou “Beijo Partido”, pérola de Toninho Horta, desafiando Fábio Sacramento na voz. É sempre bom ouvir essa canção e Fábio não se intimidou, mandando bem nessa melodia/harmonia tão linda quando difícil...

JAM no MAM Outubro 2019 - Foto Elzinha de Abreu

Ao longo da noite rolaram canjas no baixo de Artur Carneiro e Alexandre Montenegro. Gratas surpresas foram também as canjas de Lucas Decliê no saxofone, aluno de Rowney Scott, improvisando muito no sax alto, e seu parceiro de canja, Felipe Pires. Dois nomes novos e cheios de talento na nossa sempre renovada cena instrumental baiana.

JAM no MAM Outubro 2019 - Foto Elzinha de Abreu

Lorena Martins se juntou à nossa banda base já mais para o fim da JAM. A nossa "Funk-Woman" já chegou para tocar o clássico da jazz-fusion “Chameleon”, de Herbie Hancock, Bennie Maupin, Paul Jackson e Harvey Mason.

Fernando, com direito a introdução e tudo, foi para o teclado ao lado de Daniel Ragoni na bateria em “Spain”, clássico de Chick Corea, na penúltima música da noite. Nossa turma adora essa composição e sua vocação para a ferveção e muito solo de bateria!

“Êrê Alabê”, de Ivan Bastos, fechou a noite com o erê (Gabi Guedes) dando o tom da levada. Bem, na verdade, quando estamos com Luizinho nos teclados, sempre tem um "rag time" de autoria incerta, para fechar a noite em clima de picardia. Na JAM é sempre assim; uma surpresa atrás da outra!

Nosso próximo encontro? No último sábado do mês, dia 30 de novembro. Até lá!

JAM no MAM Outubro 2019 - Foto Elzinha de Abreu

JAM no MAM Outubro 2019 - Foto Elzinha de Abreu

Fotos Elzinha de Abreu.