Ir para o conteúdo

Pela força que conquistou nos últimos 18 anos, tanto em relação à formação de músicos quanto no que diz respeito à criação de um público cativo no consumo da música instrumental com referências jazzísticas, a JAM no MAM possui representatividade internacional que garante ao projeto o status de ser um dos mais queridos, longevos, conhecidos e assíduos projetos culturais baianos.

 

De 25 de agosto de 2007 até hoje foram realizadas mais de 500 JAMs (marca atingida em 05/05/2018), com uma média de 1.270 pessoas por sábado (números de 2018) – ou seja, mais de 600 mil pessoas formando um público presencial para a música instrumental made in Bahia! Mas muitos perguntam:

Com um público tão grande, por que a bilheteria da JAM não garante as sessões musicais de todo sábado?

Porque o ingresso é muito barato e não cobre os custos do evento. Para depender exclusivamente da bilheteria, o valor do ingresso na JAM no MAM deveria ser atualmente de R$ 24,00, e precisaríamos contar com mais de 700 pessoas por sessão pagando esse valor! Mas como a produção da JAM no MAM sabe que ingressos a preços populares são um ativo importante para o projeto, o patrocinador arca com 2/3 desse valor (o que faz com que consigamos manter a inteira a R$ 8,00, como ainda é cobrado hoje).

Ou seja, os valores populares dos ingressos, de R$ 8,00, inteira, e R$ 4,00, meia (que são importantes para a formação do público de várias gerações de jovens músicos baianos em formação na arte da improvisação jazzística), só são possíveis porque recursos vindos de patrocinadores complementam o valor que é cobrado ao público para que a qualidade de todos os itens envolvidos em cada jam session seja garantida.

Como o dinheiro é investido em cada JAM no MAM?

Entre os itens que precisam ser pagos para que a JAM aconteça, estão:

  • Músicos da banda base
  • Técnicos de som e luz
  • Contrarregras
  • Equipe de limpeza e serviço gerais
  • Segurança
  • Bilheteiros
  • Produtores e assistente de produção
  • Comunicação (fotos, vídeos, assessoria e mídias digitais)
  • Locação de computador, instrumentos e equipamento de som/luz
  • Locação de banheiros químicos
  • Confecção de ingressos e materiais gráficos
  • Manutenção de bancos, praticáveis, toldos, lixeiras, bilheteria e demais equipamentos que compõem a estrutura da JAM

Se no início da década de 1990 era possível realizar a JAM no MAM com poucos recursos, a legislação atual envolvida na produção de um evento como o nosso exige investimentos que encarecem todo o processo.

Hoje o mundo todo discute a situação delicada de ajustes (financeiros, estruturais, políticos, subjetivos, concretos) que precisam ser feitos a partir de uma nova e renovadora economia criativa. No Brasil não é diferente. Na JAM no MAM não é diferente! É por isso que surge a campanha FÃ da JAM!

Nossa meta na campanha FÃ da JAM é alcançar R$ 12.000,00 para a realização de uma JAM no MAM por mês. Esse valor, adicionado aos ganhos na bilheteria, nos levarão ao valor mínimo de R$ 17.000 que precisamos para viabilizarmos todos os itens necessários ao bom funcionamento do nosso encontro musical mensal. Esse valor será investido como demonstrado no quadro abaixo:

 

A JAM no MAM é um projeto musical que adquiriu um contorno ímpar, por conta da fidelidade do seu público e dos artistas que viraram fãs. A campanha FÃ da JAM e, principalmente, o financiamento recorrente da plataforma Benfeitoria, são possibilidades de desenvolver novos caminhos capazes de viabilizar parcerias que permitam soluções para manter o projeto vivo. Ela será desenvolvida, portanto, enquanto estiver sendo uma ferramenta que faça sentido para a realização do projeto, mas com o desejo que aponte a todos nós caminhos possíveis de seguir numa construção cultural autônoma, democrática e ininterrupta!